Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A “Nossa” Roma, palmilhada de A a Z!

roma1.jpg

 

Finalmente o FR2097 da Ryanair pousava o rodado em solo Italiano, estávamos no Aeroporto de Ciampino, onde aterram exclusivamente voos Low Cost. A viagem tinha corrido às mil maravilhas e o Boeing 737-800, mesmo com aquele interior que relembra os Autocarros dos nossos tempos de escola, fez o seu trabalho! Acompanhados por um Staff 5 estrelas até foi uma viagem bastante agradável.

Como já referimos anteriormente, já levávamos connosco algumas entradas de locais de interesse e os bilhetes do Autocarro Terravision, que apanhámos mesmo à porta do aeroporto e que nos levou directamente para a estação de Termini, muito perto do hotel que havíamos escolhido.

 

1º Dia

 

Após deambularmos alguns minutos pelas imediações do Hotel Parker, decidimos ir comer a nossa primeira fatia de pizza em Itália. A Pizza era divinal (talvez tenha ajudado o fato de serem umas 15h e ainda não termos almoçado!!), escolhida ao metro e paga ao peso, visto não terem o formato redondo a que estamos acostumados. Após esta paragem para restabelecer energia, chegámos à Piazza Vittorio Emanuele II. Um jardim bonito, perto da estação de Termini. Um local agradável de passagem obrigatória a quem ficar hospedado na zona.

Roma é uma cidade rica em edificações que nos deixam de boca aberta, e a primeira de todas com que nos cruzámos foi imediatamente a seguir a este bonito jardim…

Percorremos a Via Carlo Alberto e demos de  frente com a Igreja Santa Maria Maggiore! IMG_2991.JPG

O nosso primeiro WOWWWW!!! Uma igreja lindíssima de recortes monumentais e uma praça agradável para uma pequena paragem, sentados nos degraus da fonte que lá existe podemos descansar e apreciar a beleza do edifício, que para ser visitado tem como obrigatória a passagem pelas barreiras de segurança e respectiva inspecção RX.

 

 

Já de costas viradas a Santa Maria Maggiore, seguimos pela Via Panisperna, rodeados por um clima nitidamente turístico, com Pizzarias onde o Kg da pizza chega facilmente a atingir valores de 26€ ou até mais. Valores destes são extremamente altos, visto que chegámos a pagar 16€/Kg noutras zonas igualmente turísticas mas menos inflacionadas.

Ao chegar ao final da rua, encontrámos a nossa primeira barreira Militar na estrada. Dois jipes do exército Italiano cortavam as estradas e esse era um sinal de que nos aproximávamos de algo de grande interesse turístico. O Monumento a Vittorio Emanuele II!

É impossível falar de Roma sem mencionar tal monumento… é simplesmente COLOSSAL!! Em qualquer parte de Roma que estiverem vão ter este monumento no vosso horizonte. O que IMG_3031.JPGchega a ajudar bastante no momento de regressar, como ponto de orientação. Este monumento é visitável e gratuito pelo que a passagem por este lugar é sem dúvida obrigatória. Virando as costas a este monumento vão ver a movimentada Piazza Venezia e por lá degustar um dos melhores cafés das vossas vidas com uma visão deslumbrate!

O nosso primeiro dia em Itália tinha chegado ao fim e quando chegámos finalmente ao Hotel tínhamos percorrido 21 km.

 

Dia 2

 

Rondava as 7h da manhã e lá estávamos a tomar o pequeno-almoço e a decidir qual o caminho que iriamos tomar nesse dia. Escolhemos começar pela Basílica S. Maria Degli Angeli e del Martiri que tem uma particulariedade que só descobrimos quando lá chegamos: dentro da igreja há uma espécie de relógio solar que marca não apenas as horas como foi idealizada para prever a data da páscoa e na época competir com outra “Linha Meridiana” que havia sido construída em Bolonha anteriormente, sendo esta primeira menos exacta e rigorosa.

 

A igreja fica na Piazza Repubblica e saindo desta praça descendo a Via Nazionale fomos abordados por um grupo de pessoas que pertencem a uma associação de mulheres vítimas de violência doméstica e que nos pediram para assinarmos uma petição. Após assinarmos pedem-nos um contributo MÍNIMO de 40€. Após alguns minutos ali a debater a questão acabamos por deixar apenas 10€ em forma de nos vermos livres da situação, afinal a situação até nos pareceu um pouco duvidosa pelo que o que queríamos era sair dali o mais depressa possível e continuar a nossa jornada.

Por entre ruas e ruelas passámos ainda pelo Teatro da Opera e fomos dar ao Palácio do Quirinale que é a Residência Oficial do Presidente de Itália.IMG_3098.JPG

Muito perto está a famosíssima Fontana di Trevi, permanentemente repleta de pessoas que quase se atropelam por uma fotografia com a fonte de fundo. Muitos casais mandam a moeda por cima do ombro e pedem um desejo… Também nós o fizemos! Não nos demoramos muito porque queríamos lá voltar… mas desta vez ao anoitecer para apreciar a fonte iluminada.

Seguimos até à Piazza Parlamento e Piazza di Montecitorio que rodeiam o Palazzo Chigi que é a sede do Governo Italiano.

Rumámos à Piazza Navona e ficamos deslumbrados! Terá sido, talvez a praça que mais nos fascinou em toda a cidade de Roma. Com uma fonte ao centro e uma igreja lindíssima. Aproveitem este lugar para descansar, namorar ou tirar bonitas fotografias. Vai valer a pena e esta praça vai gravar algumas imagens lindíssimas na vossa memória.

Como qualquer turista em Roma, um dos locais que mais curiosidade nos suscitava era sem dúvida o Panteão. E quando o vimos não ficámos desiludidos. Um local de entrada livre em que é nítido o respeito que Roma tem pela sua história!

Tinham recomendado que e almoçássemos no Campo de Fiori e por isso, perto da hora de almoço (que quando estamos de viagem pode ser às 11h ou às 15h) lá fomos nós procurar este local. A fome venceu-nos e acabamos a almoçar pizza (que novidade!!) numa das ruas paralelas ao Mercado.

Como já vos falamos acima, o monumento a Vittorio Emmanuele é um ponto de referência em Roma e por isso, uma vez mais, iniciamos a jornada da tarde junto dele. Fizemos a Via del Corso até à Piazza del Popolo. Podemos garantir que nesta rua existem dezenas de igrejas. Igrejas pequenas, igrejas maiores, igreja porta sim, igreja porta não. De cada lado da estrada há uma igreja consecutivamente até ao final da rua. Ao chegar à Piazza del Popolo vimos que estava em obras e por isso não tivemos oportunidade de apreciar a sua beleza por completo. Lá teremos de regressar novamente a Roma

Sabíamos que era hora de regressar ao hotel e pensar no jantar quando o nosso corpo começava a dar sinais de cansaço.

Neste ponto decidimos regressar ao hotel, mas pelo caminho ainda passámos na Piazza di Spagna que tem uma linda escadaria que vai dar à igreja da Santissima Trinità dei Monti. Achámos esta praça bastante movimentada, talvez até mais que a Piazza Navona.IMG_3353.JPG

Depois do jantar rumámos novamente à Fontana di Trevi! Era o único local de Roma que fazíamos questão de ver iluminado e esta foi a única motivação para sair do quarto de hotel depois de um banho relaxante e de jantar.

Quando o nosso dia terminou tínhamos feito 23km de caminhada!

 

Dia 3

 

Havia chegado o Aniversário do Jaime!! É verdade… nada melhor para comemorar um aniversário do que levantar bem cedinho e conhecer algo novo.

Pela primeira vez usámos o Metro em Roma, um bilhete de 100 minutos custa cerca de 1,5€ e foi o suficiente para viajarmos da estação de Vittorio Emanuele até à estação de Cipro-Musei Vaticani. Como já falámos anteriormente as nossas entradas no Museu do Vaticano foram compradas ainda em Portugal através do site getyourguide.pt. Como combinado na hora e local combinados lá estavam os nossos “encaminhadores” que nos levaram até dentro do museu sem filas nem tempos de espera.

IMG_3380.JPG

Consideramos o Museu do Vaticano um lugar imperdível visto estar ali presente toda a história daquele estado e da Igreja católica ali sediada. Atenção, recomendamos esta visita pelo seu conteúdo cultural, não por ser um local de culto ou algo do género… terá com toda a certeza essa conotação para um Católico praticante, mas será também uma visita extremamente interessante para um qualquer apreciador de história e de cultura independentemente das suas crenças religiosas!

Agora… que nos perdoem os maiores seguidores dos artistas renascentistas!! E mesmo o próprio Michelangelo que deve dar uma volta no túmulo quando dizemos isto mas… A Capela Sistina não foi de todo o que esperávamos: Atulhada de gente, segurança por todo o lado aos gritos para não fotografarem… foi quase uma experiência claustrofóbica! Mas claro… também esta imperdível, afinal não se entra na Capela Sistina todos os dias!

Saindo do Museu, chega a hora de contemplar a Basílica de S. Pedro

IMG_3560.JPGsimplesmente magnifica!! De uma fantástica grandiosidade exterior sem sequer imaginar a beleza inexplicável do seu interior. Para acedermos ao interior da Basílica temos que passar de novos pelas barreiras de segurança e aqui sim, as coisas são um pouco mais demoradas. As filas são enormes e a revista é um pouco mais minuciosa. A espera foi grande e num dia de calor perto da hora de almoço custa um pouco, mas sem dúvida que o que nos esperava valeu a espera!

O interior como já dissemos é de uma beleza inexplicável, de uma grandiosidade anormal! Tudo é fascinante para onde quer que olhem. Para identificar o local onde está a Pietà de Michelangelo basta procurar um aglomerado de pessoas a atropelarem-se por uma boa foto!

Após a visita à Basílica chega a hora de conhecermos a famosa Cúpula… e a sua majestosa vista! Pagámos 8€ cada um e subimos 551 degraus mas é possível pagar 10€ e "só" subir 320. A subida à Cúpula não é aconselhada a pessoas com problemas cardíacos! MAS POR FAVOR... se não tiverem problemas cardíacos... por muitas que já sejam as dores nas pernas...IMG_3615.JPG por mil e uma desculpas que tentem arranjar... SUBAM!!! A vista da Cúpula é de uma beleza ímpar... é uma imagem que vos ficará com toda a certeza gravada na memória!! A subida é feita através de umas escadas bastante peculiares que vamos deixar ser surpresa a quem lá for.

 

Deixando o Vaticano para trás, caminhámos junto ao Rio Tevere passando pelo Carcere di Regina Coeli rumo a Trastevere. Uma caminhada agradável sempre com o rio à nossa esquerda, rodeados por uma arquitectura que nos fascina.

Chegados a Trastevere decidimo-nos perder por aquelas ruas. Trastevere é talvez o bairro mais “Artístico” de Roma… repleto de Pubs locais, restaurantes típicos, pequenas pizzarias e praças fantásticas para sentar um pouco e relaxar enquanto se saboreia mais um maravilhoso café.

Seguimos o nosso caminho mantendo o rio à nossa esquerda e atravessámos a ponte Cestio em direcção ao Teatro di Marcello, um sitio interessante e uma boa introdução ao que o Coliseu se viria a revelar no dia seguinte.

De seguida fomos ainda visitar o Museo Capitolino, situado por de trás do Monumento a Vittorio Emmanuele II, um lugar bonito e um sitio óptimo para umas fotografias ao entardecer.

Havia chegado a hora de regressar ao Hotel 22km depois, tomar um banho e ir jantar a um restaurante típico da zona… afinal alguém fazia anos

 

Dia 4

 

Chegara finalmente o dia de visitar a nossa 2ª das 7 Maravilhas do Mundo, mas como só conseguimos entrada para as 10:45 decidimos visitar primeiro o Convento di S. Giovanni in Laterano. À semelhança de outros monumentos em Roma, este Convento também tinha controlo policial à entrada mas não havia fila de espera. Um Convento lindíssimo, que não sendo um local de passagem obrigatória, merece um desvio se lá estiverem por perto.

Podem achar-nos loucos, mas só ao quarto dia decidimos chegar perto do Colosseo Romano!

IMG_3832.JPG

Já o tínhamos visto por entre uma ou outra rua mas não quisemos chegar perto e isto alimentou-nos a curiosidade. E neste dia a curiosidade era tanta que ainda não eram 10h e nós já estávamos a sair do Convento em direcção ao Coliseu. À medida que avançávamos pela Via di Giovanni in Laterano, fomo-nos aproximando também daquilo que nos esperava. Quando finalmente não havia mais prédios entre nós e o Coliseu ficamos estupefactos a olhar para tamanha Maravilha! A grandiosidade de tal monumento é gigantesca e o primeiro faz-nos suster a respiração ao contemplar cada traço da sua construção. Mais uma vez, para esta visita decidimos alugar o áudio-guia. É um monumento de extrema importância numa viagem como esta e este aluguer é sem dúvida uma mais-valia pois leva-nos para outra dimensão do edifício, permitindo-nos explorar não só a sua beleza física como a riqueza da sua história e seus “segredos” escondidos à primeira vista.

De uma das varandas no coliseu, é possível apreciar a beleza do Arco di Constantino que fica entre o Coliseu e o Monte Palatino. Tal como o Arco di Tito, este já no Foro Romano, mas também observável a partir do Coliseu.

Já caminhando pela Via Sacra de costas voltadas ao Coliseu, chegámos ao Arco di Tito e começámos a nossa visita ao Monte Palatino onde na época de Augusto começaram a ser construídos os palácios imperiais. Uma visita bastante agradável e um lugar super tranquilo, bom para descontrair da azáfama vivida em torno do Coliseu. Depois de circundado o Monte Palatino, descemos de novo em direcção ao Arco di Tito e começámos a explorar o Foro Romano. Um local imperdível para quem se quer deixar envolver na história e caminhar pelas estradas de calçada, rodeados por edifícios que nos transportam a tempos de gladiadores e imperadores.

Após absorvermos o máximo que conseguimos, de tudo o que estes locais fantásticos tinham para nos dar continuámos a nossa caminhada desta feita em direcção ao vale do Circo Massimo. Um antigo local de corridas que serviu de inspiração a todos os outros circos romanos, que no seu tempo conseguia acomodar cerca de 150 mil espectadores… um número surpreendente até quando comparado com os estádios do dias que correm. Hoje é um jardim agradável onde ainda, com alguma dificuldade, se consegue tirar elações sobre a monstruosidade que fora outrora.IMG_3970.JPG

Outro dos pontos de interesse que levávamos previamente assinalado era a Bocca dela Veritá, que só conseguimos visitar à segunda vez que a fomos procurar. Pesquisem sobre a lenda deste ponto turístico de Roma. Muitos foram os turistas que esperaram na fila para tirar uma fotografia com a mão na Boca da Verdade e nós não fomos excepção!

Após todas estas andanças e depois de mais uma vez termos palmilhado cerca de 23km, regressámos ao Hotel para um duche revitalizante e para o merecido descanso.

 

Dia 5

 

O quinto dia não começou tão cedo como os outros, o cansaço já se acumulara e acabámos porIMG_4003.JPG

nos deixar ficar na “ronha” até cerca das 09H00, sendo já perto das 10h quando caminhámos calmamente até à Piazza Cavour. Nesta praça além da estátua em honra de Camillo Benso, Conde de Cavour podemos também encontrar o edifício do Palazzo di Giustizia, um edifício lindíssimo onde se encontra sediada a Corte Suprema di Cassazione.

Depois de divagarmos um pouco pela zona seguimos então até ao Castel de Sant’Angelo. Não visitámos este monumento, apenas contemplámos a sua beleza exterior e lemos um pouco sobre a sua história e sobre o anjo que o coroa, honrando a aparição do Arcanjo São Miguel que assinalara o fim da epidemia de peste nos anos de 590.

Aproveitámos as imediações deste ponto turístico para fazer algumas compras no que toca a lembranças que queríamos trazer e oferecer a família e amigos, é um local de muito comércio artesanal onde se conseguem bons preços.

Já de costas voltadas ao castelo, atravessámos o Tevere pela Ponte de Sant’Angelo, a ponte onde se encontram as estátuas que retratam símbolos das paixões de Cristo. Por ali passámos algum tempo, entre estátuas lindíssimas, compras em Trastevere e um maravilhoso café nas margens do Tevere. Após todas estas caminhadas e aventuras por terras de gladiadores, faltava apenas um sitio dos que levávamos referenciado com de passagem obrigatória, o Buco della Serratura di Roma. Nada mais que um buraco da fechadura, no portão da Ordem SoberanaIMG_4049.JPG e Militar de Malta. Pela qual ao espreitarmos, avistamos a Cúpula da Basílica de São Pedro emoldurada por um corredor de ciprestes. Uma visão que nos fica na memória, até porque tivemos a sorte de presenciar a abertura do portão e disfrutar de uma visão fantástica.

Utilizámos o resto do dia para nos deixar perder… para viver as maravilhas que Roma tem para oferecer, disfrutando dos seus cheiros, sabores e das suas gentes!

 

Dia 6

 

Foi dia de fazer as malas e de um pequeno passeio pelas imediações de Termini, quase como uma despedida. Regressámos ao aeroporto de Ciampino de novo através de um autocarro da TERRAVISION, com bilhetes comprados on-line durante uma pausa no Circo Massimo.

Depressa chegaram as 15H50M, hora em que o voo FR2692 acelerou pela pista de Ciampino descolando assim rumo a Lisboa. A bordo regressávamos nós, cansados e fisicamente exaustos… mas de coração cheio!! Completamente apaixonados pela viagem que consideramos ter sido, até agora, a viagem das nossas vidas!

 

Nuna se esqueçam…para viver é preciso muito mais que respirar!!

Nunca parem de viver!!

publicado às 17:00

Mais sobre nós

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub